Esquece as palavras e lavra o poema

Desculpa se as palavras te fazem doer Arranquei-as do peito Para que morressem nos teus olhos

Desculpa se as palavras te rasgam os sentidos Fugiram-me dos dedos Para te embriagarem num abraço quente

Esquece as palavras e lavra o poema Semeia um beijo nos meus lábios E faz crescer o desejo que me nasce na carne

Agora Não me deixes morrer sedenta de ti Rega-me com o calor que te nasce das mãos E deixa-me desabrochar no teu sorriso


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

MEDO

ERRO