SAUDADE


É o frio que tatua o teu nome

Na esperança de o ontem ser agora

É a serra rasgada num caminho

Tão distante, como longa é a demora

É a brancura da flor da amendoeira

É a frescura da verde laranjeira

São os teus lábios de sabor a mel

… os teus lábios…

… a saudade amarga com sabor a fel

Ah! se eu pudesse beber-te pela chuva

E gritar o teu nome ao céu

Talvez ouvisses… talvez…

E te colasses em mim como mosto de uva

Matando o dia estilhaçado de breu

E no horizonte, o mar

E nos teus olhos, o mar

Saudade dorida para quem apenas quer voar


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

MEDO

ERRO