INQUIETUDE

Atualizado: 7 de jul. de 2020


que ancorem os barcos

e abrandem os ventos


que se aquietem as marés

e os meus pensamentos


(quero silêncio)


que se apague a lua nesta madrugada

e se cruzem os corpos na caminhada


que se cale o eco deste meu desejo

e se embriaguem as mãos em cortejo


(quero luz)


que mergulhe o sonho neste outeiro

e se aquiete o orvalho no olhar


que se colham as letras do teu canteiro

e se escreva, no meu peito, a palavra amar


(quero o momento)

35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo