Tu sabes...

Tu sabes que as noites longas são o rejuvenescer do nosso amor. É nessa maré de sonolência que te beijo na volta de um beijo naufragado nestes meus lábios de carmim. A madrugada é o porto que te acolhe entre rochedos feitos de palavras que declaram o amor. Quando o luar se entorna pela janela e me lambe o corpo, sirvo-lhe o meu néctar na taça onde te costumas perder. Não existem mais segredos, mas sim sentimentos castrados pelo medo do sol. Sempre que conto as estrelas adiciono mais duas, aquelas que permanecem no teu olhar sempre que vens e que me beijas e que me demoras nas tuas mãos.

Não te percas a olhar a carne enrugada do tempo, não existe relógio, não existe um dia e uma noite quando estamos juntos, apenas o momento. O ressurgir das músicas incansáveis que tocam como um despertar constante de ti ecoam baixinho nesta madrugada onde te acolho em molhos de poemas que me enchem o peito. Difícil é a escolha das palavras que me abraçam e me envolvem numa cumplicidade embriagante.

Agora, e porque o sol não tarda a beijar a manhã, aconchego-me na vida e adormeço a sorrir.


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

À Poesia

DESTINOS